Como a sua marca pode se posicionar contra a desigualdade racial

A luta pelo fim da desigualdade racial está cada vez mais presente no nosso dia a dia, seja em ambientes profissionais ou, até mesmo, em casa. Temos que encontrar a maneira mais eficiente para nos posicionar diante desse cenário. E, nesse momento, é extremamente importante as empresas comunicarem suas opiniões e representarem a pluralidade de seus consumidores e colaboradores.

O Brasil tem um longo histórico de crimes raciais, porém muitas marcas não se posicionam em repúdio ao racismo, por isso, devemos tentar mudar esse cenário. É essencial estar presente nessa luta diária, oferecendo recursos para projetos sociais ou, até mesmo, fomentar a cultura e o entretenimento negro.

Outro ponto de mudança é a representação de pessoas pretas no mundo corporativo. De acordo com uma pesquisa do Instituto Ethos, realizada com as 500 empresas de maior faturamento do Brasil, as pessoas afrodescendentes formam 58% dos aprendizes e trainees, em contrapartida, na gerência representam apenas 6,3%. Esse estudo é um exemplo claro da falta de representantes negros em cargos de liderança, afetando também a perspectiva dos profissionais que iniciaram a carreira recentemente.

As empresas devem priorizar a mudança interna, planejando ações práticas, como contratar profissionais negros, incentivar os debates para dar voz ativa à diversidade e também ampliar a discussão da pauta no ambiente de trabalho.

Além disso, não devemos ter medo de se expor diante desse cenário. Estamos passando por um momento de transição e aprendizado, então é compreensível alguns erros de posicionamento e comunicação no processo, porém, o mais importante é se conscientizar, aprender e evoluir todos os dias.

Pensando em tudo já dito, separamos algumas ações práticas que sua marca pode fazer sobre esse tema:

• Crie uma política interna antirracista que seja clara para todos. Se o seu negócio é um comércio, por exemplo, é fundamental treinar a sua equipe para saber como agir diante de uma situação de descriminação racial;

• Utilize os seus canais de comunicação para dar voz na luta contra o racismo. As marcas possuem alcance considerável, então devem usar isto a favor de causas importantes. Ademais, você ainda fortalece a sua marca pela coragem e transparência moral;

• Também é essencial olhar para dentro de sua própria empresa e avaliar se existe igualdade nos processos. Além disso, amplie as políticas e os conteúdos que incentivem a reflexão e o debate;

• Na hora de escolher quem representará sua marca, como influencer, artista ou veículo, é preciso estudar bem qual o posicionamento destes sobre as causas raciais. Não traga para o seu time quem não consegue respeitar o outro indivíduo;

• Leve as atitudes antirracistas e antidiscriminatórias, de fato, para a vivência ética e moral de sua empresa. Se posicionar é extremamente importante, mas implementar atitudes corretas somam ainda mais nesta luta.

É essencial realizar uma evolução estrutural e apoiar esse movimento tão importante. Juntos, podemos fazer a diferença!

Autoria: Gabrielle Oliveira

SE CONECTE COM A GENTE